CINE-TEATRO CAPITÓLIO — O REGRESSO DE UM EQUIPAMENTO HISTÓRICO

12/05/2017
Em novembro de 2016, o cineteatro Capitólio, atual Teatro Raul Solnado, voltou a abrir as portas, devolvendo ao público uma parte da história do cinema em Portugal.
 

UM EDIFÍCIO INOVADOR E HISTÓRICO

Inaugurado em 1931, o edifício projetado por Luís Cristiano da Silva é um dos mais importantes símbolos do modernismo português e da arquitetura do século XX.

Situado no Parque Mayer, o Capitólio conseguia acolher uma variedade de espetáculos e contava com inovações como uma pista de patinagem no gelo e um terraço onde se organizavam sessões de cinema ao ar livre. A obra também ficou conhecida por abrigar uma das primeiras escadas rolantes do país.

VARIEDADE E IRREVERÊNCIA

Além da inovação arquitetónica, o cineteatro representou uma lufada de ar fresco a nível cultural.

O Capitólio é o ponto de encontro onde muitos portugueses se apaixonaram pelo cinema. Foi lá que os filmes A SEVERA (1931), de Leitão de Barros, e A CANÇÃO DE LISBOA (1933), de José Cottinelli Telmo, foram apresentados ao público em 1934. Ao longo das décadas, o espaço apresentou a Lisboa os clássicos do cinema, juntamente com espetáculos de teatro, bailes, operetas e até emissões radiofónicas. 

Depois do 25 de abril, o Capitólio voltou a dar mostras da sua irreverência. Em 1976, a sala exibiu, pela primeira vez em Portugal, o filme pornográfico GARGANTA FUNDA.

O REGRESSO

A falta de manutenção e o afastamento do público ditaram o declínio do Parque Mayer e também do Capitólio. Depois de receber o estatuto de Imóvel de Interesse Público, em 1983, sucederam-se algumas tentativas de recuperar o edifício que, no entanto, acabou votado ao abandono. 

85 anos depois da sua inauguração, o cineteatro Capitólio reabriu — agora com o nome de Teatro Raul Solnado. O projeto, da autoria do arquiteto Souza Oliveira, promete recuperar o encanto de outros tempos, combinando-o com as soluções de engenharia mais modernas. Exemplo disso são os 400 lugares sentados que se transformam em 1500 lugares de pé quando a plateia é recolhida. 

O regresso do cineteatro Capitólio foi marcado pelos concertos que acolheu, no âmbito do festival Vodafone Mexefest. Recentemente, o seu terraço também fez parte da programação do IndieLisboa, com as sessões IndieMusic.