OBRAS NACIONAIS PREMIADAS NO DOCLISBOA 2017

30/10/2017
Já são conhecidos os vencedores da 15ª edição do Festival Doclisboa, que decorreu de 19 a 29 de outubro, em Lisboa. O Grande Prémio foi atribuído à coprodução portuguesa MILLA, de Valérie Massadian.

A sessão de encerramento da 15ª edição do Doclisboa ocorreu no sábado à noite, dia 28, onde se anunciaram as obras vencedoras dos segmentos competitivos do festival. 

Relembramos-lhe que, na Competição Internacional, estavam inseridas duas obras nacionais, nomeadamente MILLA, de Valérie Massadian (coprodução franco-portuguesa), e SPELL REEL, de Filipa César (coprodução entre Alemanha, Portugal, França e Guiné-Bissau). Na Competição Portuguesa, eram 11 os filmes a disputar o prémio.

Confira a lista das obras nacionais premiadas e distinguidas em cada uma das secções:

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL 
Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição
MILLA, de Valérie Massadian (França, Portugal);

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI DA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
SPELL REEL, de Filipa César (Alemanha, Portugal, França e Guiné-Bissau);

Prémio NOVA FCSH/ Íngreme para Melhor Filme da Competição Portuguesa
VIRA CHUDNENKO, de Inês Oliveira (Portugal);

Prémio Kino Sound Studio do Júri da Competição Portuguesa
À TARDE, de Pedro Florêncio (Portugal);

Prémio do Público
Prémio RTP para Melhor Filme Português
DIÁLOGOS OU COMO O TEATRO E A ÓPERA SE ENCONTRAM PARA CONTAR A MORTE DE 16 CARMELITAS E FALAR DO MEDO, de Catarina Neves (Portugal);

Prémio Escolas / Prémio ETIC para Melhor Filme da Competição
I DON’T BELONG HERE, de Paulo Abreu (Portugal)

COMPETIÇÃO TRANSVERSAL 
Prémio Fundação INATEL para Melhor Filme de Temática Associada a Práticas e Tradições Culturais e ao Património Imaterial da Humanidade.
MENÇÃO HONROSA/ SPECIAL MENTION 
MEDRONHO TODOS OS DIAS, de Sílvia Coelho e Paulo Raposo (Portugal)

Prémio José Saramago – Fundação José Saramago – para Melhor Filme falado maioritariamente em português, galego ou crioulo de origem portuguesa transversal às Competições e Riscos.
SPELL REEL, de Filipa César (Alemanha, Portugal, França e Guiné-Bissau);

VERDES ANOS
Prémio FAMU para Melhor Filme dos Verdes Anos 
NORLEY AND NORLEN, de Flávio Ferreira (Portugal, Cuba, Espanha);

Prémio Especial Walla Collective do Júri Verdes Anos
PESAR, de Madalena Rebelo (Portugal);

Prémio Melhor Realizador dos Verdes Anos 
JOHN 746, Ana Vijdea (Portugal);

A edição deste ano do Doclisboa contou com 231 filmes de 44 países. Reveja os nomeados portugueses e consulte a lista completa dos vencedores no website oficial.