Europa 61 - Semana do Cinema Europeu começa hoje no Porto

23/09/2021
A segunda edição da Europa 61 - Semana do Cinema Europeu, uma mostra de 13 filmes, de 13 países, que pretende pôr o público a refletir sobre as preocupações e desafios do velho continente, arranca hoje no Cinema Trindade, no Porto.

Entre 23 e 29 de setembro, o Cinema Trindade será o palco deste ciclo de filmes oriundos da Alemanha, Áustria, Bélgica, Chéquia, Espanha, França, Hungria, Índia (país convidado), Irlanda, Itália, Luxemburgo, Polónia e Reino Unido.
A diversidade de valores, desafios e preocupações que assolam os cidadãos europeus transparecem nestas películas que espelham uma identidade comum, mas também a diversidade convergente neste grande espaço geográfico.  "Se, por um lado, a ideia de uma Europa aberta e progressista nos oferece oportunidades, encontros e descobertas, aumentam, por outro lado, as crispações e os conflitos sociais, muitas vezes associados a uma crescente narrativa de estranheza perante o outro”, explica Carlos Nogueira, Curador deste programa.
Para a sessão de abertura no dia 23 de setembro, às 21:30, foi escolhida "A Virgem de Agosto”, de Jonás Trueba, que esteve entre os 10 Melhores Filmes de 2020 para a Cahiers du Cinéma, em Cannes, e foi nomeado para Melhor Filme Estrangeiro nos Césars do mesmo ano.
Já o encerramento, a 29 de setembro, cabe à dupla polaca Małgorzata Szumowska e Michał Englert com o filme "Não Voltará a Nevar”,  uma obra que "explora alguns medos e fantasmas da Europa atual confrontando-nos com a iminência de um apocalipse”, de acordo com o curador.
A Semana de Cinema Europeu é organizada pela Representação da Comissão Europeia em Portugal, pela EUNIC-Portugal, rede constituída pelos institutos nacionais de cultura e por algumas embaixadas da União Europeia, e pela Embaixada Britânica em Lisboa.
Todas as sessões têm entrada gratuita mediante o levantamento de bilhete. Consulte a programação.
 

FILMES

A ESTREIA, DE ALEJANDRO FERNÁNDEZ ALMENDRAS, Chéquia, 2019, ficção, 93’
A RAPOSA NA TOCA, DE ARMAN T. RIAHI, Áustria, 2020, ficção, 103’
A SOMBRA DA VIOLÊNCIA, DE NICK ROWLAND, Irlanda, 2019, ficção, 100’
A VIRGEM DE AGOSTO, DE JONÁS TRUEBA, Espanha, 2019, ficção, 125’



AS COISAS QUE DIZEMOS, AS COISAS QUE FAZEMOS, DE EMMANUEL MOURET, França, 2020, ficção, 122’
CAMARADA DRAKULICH, DE MÁRK BODZSÁR, Hungria, 2019, ficção, 95’
CONTOS DO RIO, DE JULIE SCHROELL, Luxemburgo, 2020, documentário, 82’
GHOST TROPIC, DE BAS DEVOS, Bélgica, 2019, ficção, 85’
ISCO, DE MARK JENKIN, Reino Unido, 2019, ficção, 89’
NÃO VOLTARÁ A NEVAR, DE MAŁGORZATA SZUMOWSKA E MICHAŁ ENGLERT, Polónia, 2020, ficção, 113’
NASIR, DE ARUN KARTHICK, Índia, 2020, ficção, 85’
SOLE, DE CARLO SIRONI, Itália, 2019, ficção, 102’
UM ANO DE VOLUNTARIADO, DE ULRICH KÖHLER E HENNER WINCKLER, Alemanha, 2019, ficção, 86’