Quatro filmes com assinatura portuguesa na Quinzena de Cineastas

16/04/2024
Foi hoje revelada a lista de selecionados para programa independente não competitivo, que decorre em paralelo ao Festival de Cannes e é organizado pela Sociedade de Realizadores de Cinema. Há 2 curtas-metragens, uma longa nacional e uma coprodução da Argentina com Portugal.
"A Savana e a Montanha”, terceira longa-metragem de Paulo Carneiro, é um dos filmes nacionais selecionados para a 56ª edição da Quinzena de Cineastas

Há sete anos, a comunidade de Covas do Barroso, no Norte de Portugal, descobriu que a empresa britânica Savannah Resources planeava construir uma das maiores minas de lítio a céu aberto da Europa junto às suas casas. Perante esta ameaça iminente, a comunidade decidiu organizar-se para os expulsar das suas terras. Este filme, em formato western, inspira-se nesta recusa e luta das gentes de Covas do Barroso contra um inimigo forte, que conseguiram vencer. Foi produzido pela Bam Bam Cinema (Portugal) com coprodução da La Pobladora Cine (Uruguai). O argumento é de Paulo Carneiro e Alex Piperno.

"Quando a terra foge” é uma curta-metragem realizada por Frederico Lobo, cuja ação também decorre na região transmontana. É uma coprodução da Terratreme Filmes e da Rua Escura. De acordo com a sinopse oficial "entre o nevoeiro, num pleno labirinto do tempo, onde máquinas sondam as profundezas geológicas da montanha, um pastor vai em busca de uma vaca tresmalhada e a infância encontra o seu regresso. A Serra transforma-se, o ciclo continua”.

Da lista de filmes escolhidos para a Quinzena de Cineastas, destaca-se ainda a curta-metragem "O jardim em movimento”, produzido, escrito e realizado por Inês Lima. O filme acompanha o trabalho de 2 guias botânicas que conduzem um grupo de caminhantes pelo Parque Natural da Arrábida. No passeio, entre várias espécies da fauna e flora, vai-se tornando claro como este lugar está a sofrer uma mutação, não por causas naturais, mas pela mão humana.

Inês Lima é uma artista independente que explora as possibilidades da imagem em movimento, paisagens sonoras, escrita e programação. Tem vindo a trabalhar o suporte analógico como veículo experimental na sua prática artística, cruzando temas pessoais com natureza e ecologia, tradições e memória, antagonismos e superstições. O seu trabalho tem sido exposto em festivais nacionais e internacionais e exibido em espaços culturais como a Cinemateca Portuguesa, Museu MALBA (Argentina) ou o Centro Cultural Tabakalera (Espanha).

A longa-metragem "Algo viejo, algo nuevo, algo prestado”, do realizador argentino Hermán Rosselli, com a participação da Oublaum Filmes, de Ico Costa, também integra a Quinzena dos Cineastas. Este filme conjuga documentário e ficção e aborda a temática do mundo do jogo clandestino.

A Quinzena de Cineastas decorrerá de 15 a 25 de maio, em Cannes.